Menu
RSS

Beleza masculina Destaque

17 anos de idade, fã da natureza, tendo no Le parkour seu esporte favorito. Antônio César Rincon é o destaque desta edição da coluna Beleza cristalina. Para as leitoras não reclamarem da presença apenas de damas nesta coluna, o GW traz o jovem garoto que pretende já em 2018, ingressar no curso de agronomia. Caseiro, solteiro e apaixonado pelo trabalho que realiza junto com pai, na fazenda da família, Antônio César Rincon é beleza cristalina. (Com fotos de Lucas Adriano – Fone: 61 9 9230 0189)

Leia mais ...

Beleza sensual Destaque

Beleza sensual

Na coluna desta quarta-feira (05), o GW traz a bela Adenilza Martins. Com 24 aninhos, solteira e moradora da Serra dos Cristais, nossa bela de hoje é daquelas que podemos classificar como beleza sensual. Adenilza cursa administração de empresas, adora malhar e tem gosto amplo quando o assunto é alimentação. Adenilza Martins é Beleza Cristalina.   

Leia mais ...

Atenção Cristalina, a 7ª arte chegou em nossa cidade ! Destaque

Atenção Cristalina, a 7ª arte chegou em nossa cidade !

Prefeitura de Cristalina, Secretaria municipal de Educação, Caixa seguradora e Ministério da cultura apresentam o projeto: CINEMA É PRA VOCÊ, SIM !
Sessões com exibição de filmes nos próximos dias 04, 05 e 06 de abril, às 8:00, 10:00, 14:00, 16:00 e 19:00 horas, sempre na praça da Liberdade.
Junte os amigos, a família e venham curtir o melhor do cinema, sessões totalmente gratuitas.
CINEMA É PRA VOCÊ, SIM – Cultura e lazer ao seu alcance. Realização: Prefeitura de Cristalina, Secretaria municipal de Educação, Caixa seguradora e Ministério da Cultura. A gente se encontra por lá !
Obs: Apenas as sessões das 16:00 e 19:00 serão abertas ao grande público. As demais, durante o dia, são exclusivas aos alunos das escolas de Cristalina.

 

Leia mais ...

Vice-Governador de Goiás chama jornalista de analfabeto Destaque

Vice-Governador de Goiás chama jornalista de analfabeto

Em entrevista coletiva nesta quinta-feira (11), o vice-governador goiano e secretário de segurança pública José Eliton (PSDB) chamou um jornalista de O Popular de "analfabeto" por trocar, em seu texto, a expressão "condução coercitiva" por "detenção coercitiva".


Em outro momento da entrevista, José Eliton diz que "esse veículo de comunicação (se referindo ao jornal O Popular) busca constantemente desqualificar as forças policiais" e que o comportamento deste mesmo veículo "não é correto".

Em nota, o Sindicato dos Jornalistas de Goiás, repudiou a atitude do Vice-Governador e Secretário de Estado de Segurança Pública.

NOTA DE REPÚDIO

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de Goiás vem de público manifestar seu repúdio às afirmações do secretário de Estado da Segurança Pública e vice-governador, José Eliton, de desqualificar o trabalho dos jornalistas goianos em relação à cobertura da área de sua atuação.

Ao invés de dar respostas aos problemas que o setor de segurança pública enfrenta em todo o Estado, e particularmente em Goiânia, o secretário preferiu atacar os jornalistas, tachando-os de analfabetos.

Para o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de Goiás, é inconcebível que uma autoridade, principalmente ocupantes de cargos de primeiro escalão do governo, adote esse tipo de comportamento. E espera que o secretário tenha a dignidade de vir a público desculpar-se com a categoria.

Goiânia, 11 de novembro de 2016

Luiz Antonio Spada
Presidente

Já o jornal O Popular, emitiu nota admitindo que houve erro, quando da troca das palavras na referida matéria. E que possui total respeito pelas polícias e forças de segurança do Estado. No entanto, não deixará de divulgar os fatos de relevância pública.

O GW também repudia a atitude de José Éliton, entendendo que a sociedade é hoje, uma sociedade democrática, sendo a imprensa os olhos e a voz do povo. Não cabendo ao Sr. Secretário e Vice-Governador desrespeitar os profissionais da área. E sim, trabalhar de fato pelo bem-estar da população goiana. O que se tomar por exemplo a cidade de Cristalina, a situação é de caos total no que tange à qualidade da Segurança Pública. Chegando ao cúmulo de inúmeras ocorrências em uma única semana.  

Leia mais ...

Felicidade em família Destaque

GW – Magazine / Especial de Domingo

Felicidade em família

O título deste texto já expressa de fato os valores e carinho, presentes na família do Instrumentista industrial, Warley Pires. Natural de Anicuns, Warley é casado com Valquíria Lúcia Silva Magalhães. União a qual foram agraciados com a presença das filhas, Maria Eduarda Magalhães Pires (09 anos) e Manuela Magalhães Pires, de um aninho.

                                    

Amar é cuidar

Para o casal, o conceito de família significa quando as pessoas, independente de orientação sexual, laço sanguíneo ou qualquer outra coisa, se dispõem a cuidar e dar amor uns aos outros.

 

 

Esporte, filhas e lazer

Amantes de esporte radicais e contato com a natureza, Warley e Valquíria não dispensam um bom rapel na reserva ecológica Linda Serra dos Topázios. Já com as lindas princesas, o casal curte mesmo é o lado “coruja” enquanto pais de Maria Eduarda e Manuela. Como registrado nos cliques da fotógrafa Lílian, da Clik Digital. 

 

(GW) 

Leia mais ...

O GW viu, gostou e indica – Tô Ryca ! Destaque

O GW viu, gostou e indica – Tô Ryca !

Para aqueles que insistem em pensar que o cinema brasileiro continua sendo o mesmo da época das pornochanchadas, ou com os roteiros sem pé nem cabeça dos anos 70. Enganam-se, a produção nacional tem investido e muito nestes últimos anos, em especial ao se tratar do gênero comédia. A conferir, nas telonas desde o último final semana, mais um daqueles bons filmes que lhe deixa com dor no queixo, de tanto rir. Falo exatamente de Tô Ryca. Protagonizado por Samantha Schmütz, a atriz que tem trânsito livre na comédia televisiva, leva para as telonas o talento e uma história gostosa de se ver.

Para tanto,  primeira coisa que se pensa ao ler o enredo de Tô Ryca é que mais uma vez vamos ver um filme falando de alguém pobre que ficou rico e principalmente no cinema nacional isso não é novidade. Em tempos de crise, o desejo de ficar rico até fica mais forte. No entanto, apesar de uma história já batida, Tô Ryca nos ganha com piadas bem inteligentes, com um ótimo sarcasmo sobre pobreza que fica difícil não ter uma identificação com os personagens. Sem falar porém, da visível crítica à política e aos políticos.

Selminha (Samantha Schmütz) é uma mulher solteira, pobre, cansada de pegar dois ônibus lotados todo dia pra trabalhar e ter que aguentar o chefe folgado. A personagem é o estereótipo da pessoa trabalhadora, cansada de ser explorada, mas o melhor da sua vida é sua amizade com Luane (Katiuscia Canoro), uma moça mais conformada que está passando por problemas com o namorado. Tudo muda quando Selminha descobre um tio que está morrendo e vai deixar com ela uma enorme herança, mas para ter acesso ao dinheiro ela precisa passar por um grande desafio: gastar 30 milhões em um mês! É claro que todos nós achamos que isso é fácil, mas é preciso cumprir algumas regras: não pode contar a ninguém, não pode adquirir nenhum bem e apenas uma pequena parcela do dinheiro pode ser gasta com doações e jogos de azar. Ou seja, Selminha precisa mesmo torrar toda a grana e a princípio ela faz isso muito bem: festas, bebidas, comidas, roupas, salão de beleza, esportes radicais, enfim, tudo que é possível. Porém, quando Luane se cansa da vida de riqueza sem o namorado, Selminha fica bastante perdida. Sem a amiga nada faz muito sentido.

Durante toda a trama vemos Selminha realizando seus sonhos enquanto Luane só quer seu grande amor, sendo a personificação daquela máxima que diz que dinheiro não é tudo, dinheiro não compra felicidade e toda aquela hipocrisia criada pela sociedade só pra gente se conformar em ser pobre. Entendo que Luane queira o namorado, que sinta falta dele, mas se ele estivesse com ela o tempo todo, ela não iria reclamar do dinheiro, por isso, não me convence. 

No entanto, as duas personagens possuem uma amizade forte, muito bem construída e que segura boa parte da trama, bem como situações engraçadíssimas em que a atriz Samantha Schmütz consegue mostrar a todos seus brilhantismos como comediante. Selminha e Luane são exemplos de que ainda bem que é mais fácil tirar alguém da comunidade, do que a comunidade da pessoa. Não importa o quanto você ganhe, aceitar suas raízes é o que vai te deixar mais feliz. Só vamos combinar que com dinheiro é infinitamente melhor, porque de fato ser rico com os amigos na periferia é muito melhor do que ser rico sozinho num palácio.

Assim, indo a Brasília, Goiânia, Valparaíso, Luziânia ou qualquer outro local que tenha uma sala da Sétima Arte, esqueça um pouco a fatigante rotina, e vá com os filhotes acima de 12 anos, amigos, esposa e colegas, deliciarem de boas risadas com esta turma pra lá de especial e descubra neste longa, o que de fato faz sentido em sua vida ! Boa sessão a todos... (GW – com apoio Do que tem na estante / Imagem - Divulgação).

Assista ao trailer :  https://www.youtube.com/watch?v=Fm9_T-5wWqU 

E como se não bastasse toda a dicotomia rico vs pobre, o filme ainda trabalha com assuntos políticos, já que Marcelo Adnet é um político de extrema direita chamado Falacio Fausto, nome bem sugestivo. Falacio é a caricatura do Bolsonaro e temos aqui uma crítica explicita aos políticos ditos conservadores. E vale destacar a cena do debate político com o tema C*, que foi a melhor cena do filme, com certeza.

Tô Ryca não foge de velhas lições de moral, mas o final não mostra hipocrisia por parte de Selminha, o que me agradou bastante. Quem já assistiu Minha Mãe é uma Peça eVai que cola vai conseguir perceber claramente o humor cheio de sarcasmo do roteirista Fil Braz, que particularmente me agrada bastante, apesar de ser uma produção bem simples.

Leia mais ...

Crônica musical Destaque

Crônica musical

Para começarmos esta coluna, a qual pretendo colocar semanalmente no ar (isto, se  nosso precioso tempo permitir que eu escreva), vamos falar um pouco da dupla, “com cara de banda”, que simplesmente arrebentou nos anos 80 do século passado.

Oriundo do Rádio, algo que pra mim, sinto imenso orgulho. Quero neste espaço, poder compartilhar com aqueles que também já passaram dos 30 e que gostam de se deliciar com o verdadeiro som de uma boa música. Não deixando porém, de em algum momento, falarmos das canções que embalam a atual garotada. Por isso, ao ler esta coluna de estreia, já deixo por aqui, o convite para nos envie sugestões para novas crônicas, nos indicando seu cantor preferido e porque não, ajudando a construir ou até mesmo “descontruir” o universo musical daqui e de fora do País.

Assim, começamos a bater um papo leve e agradável, com nada mais, nada menos que Modern Talking...

Modern Talking  foi uma dupla  synthpopalemã, composta pelos músicos, também alemães,Thomas AnderseDieter Bohlen, tendo tido sucesso, principalmente nos anos 80. Sua música tem sido muitas vezes classificada comoeuropop.

Foi o duo pop mais bem sucedido da Alemanha, e de uma certa maneira, moldou a história musical da década de1980. Dentre suas canções mais populares, estão"You're My Heart, You're My Soul","You Can Win If You Want","Cheri, Cheri Lady","Brother Louie","Atlantis Is Calling (S.O.S. for Love)"e"Geronimo's Cadillac". Na maioria de suas canções, eram empregados cantores de fundo, que faziam principalmente osrefrõese que contava com Rolf Köhler, Michael Scholz, Detlef Wiedeke e, inicialmente, Birger Corleis. Foi o grupo musical mais próspero na Alemanha por número de vendas. Suas composições eram cantadas em inglês.

Presente nas baladas, (e aos cristalinenses, as boas lembranças do Kanguru Night Club e Lanchonete Casarão), o grupo que por ali era referência musical das noites, existiu em sua primeira versão entre 1984 e 1987. Período em que o Brasil passava por um emblemático processo de transição política, da Ditadura para a Democracia e que nem por isso, deixávamos de nos divertir, embalados por eles – Modern Talking, Erasure, A-Ha, Kid Abelha, Cazuza e Tim Maia. Na volta pra casa, a parada obrigatória na calçada do Kanguru, para saborear aquele cachorro-quente da Maria.

Depois de uma pausa, Modern Talking retoma às paradas musicais entre 1997 e 2003. Sendo que até o ano de 2003, o grupo havia vendido mais de 120 milhões de discos,valendo a pena ressaltar que só na década de 1980, chegaram a vender mais de 60 milhões de discos.

Da biografia aos discos

Formado em fins do ano de 1984, quando Dieter Bohlen tinha 30 anos e Thomas Anders tinha 21. Com seus hits dançantes, eles tornaram-se imensamente populares. Seu primeiro sucesso foi "You’re My Heart, You’re My Soul", de 1984, seguido posteriormente por "You Can Win If You Want" (1984) e "Cheri, Cheri Lady" (1985). Lançaram dois discos por ano, de 1985 a 1987, enquanto também promoviam seus singles na televisão por toda a Europa. Depois de se separarem em 1987, reuniram-se novamente em 1998, num primeiro momento apenas testando seus antigos sucessos em novas versões e novamente alcançando o topo das paradas de sucesso inesperadamente. Dieter Bohlen e Thomas Anders romperam novamente em 2003 devido a desacordos irreconciliáveis. Thomas Anders reativou sua carreira solo imediatamente, enquanto Bohlen começava a devotar-se, na maior parte de seu tempo, à procura de novos talentos, especialmente àqueles que ele descobriu na edição alemã do show televisivo Ídolos.

Rótulo gay

Numa década em que a Aids eclodia e o preconceito era bem maior que nos tempos atuais,  Modern Talking foi muito bem-sucedido na EuropaÁsiaAmérica do Sul e em alguns países da África. No Reino Unido, eles alcançaram o Top Ten (as dez melhores), somente uma vez com a canção "Brother Louie" em 1986, alcançando o quarto lugar. Eles não se sentiram muito à vontade em promover seus singles lá, pelo fato de serem rotulados na Inglaterra como um grupo gay, assim como Erasure e Culture Club. Foram praticamente desconhecidos na América do Norte, nunca aparecendo nas paradas de sucesso de lá, e devido à falta de apoio de uma gravadora e também por uma gritante falta de tempo, nunca foram nesta parte do planeta para promoverem sua música. O compositor Dieter Bohlen produzia canções num estilo musical que já estava fora de moda nos Estados Unidos, mesmo antes do Modern Talking ser formado.

As canções que foram produzidas antes do primeiro rompimento eram produzidas num estilo que pode ser vagamente chamado de Euro Disco, que foi influenciado por uma linguagem musical alemã chamada de "schlager", do Pop Disco (Bee Gees), e de canções românticas em inglês de origem italiana e francesa como "I Like Chopin" de Gazebo. Depois da reunião de 1998, Bohlen produziu canções no estilo Eurodance, assim como baladas no estilo norte-americano.

As vendas globais de Modern Talking ultrapassaram 120 milhões de unidades, de acordo com a BMG em junho de 2003, e eles se tornaram os maiores vendedores alemães de música da história da indústria fonográfica da Alemanha, ultrapassando artistas como Snap!Milli VanilliBoney M e Scorpions.

Ritmo dançante e melódico chega ao Brasil

Modern Talking é conhecido por todo oBrasil, fazendo algum sucesso isoladamente. Em algumas regiões, a dupla ainda faz muito sucesso e suas músicas ainda são bastante tocadas, tanto da primeira fase quanto da fase final de sua carreira. Entretanto o êxito de Modern Talking no Brasil não foi suficiente para queDieter BohleneThomas Anderspromovessem suas canções por terras brasileiras. Isto se deve, em grande parte, pelo fato do grupo não ter feito tanto sucesso no eixo de maior consumo do Brasil, como Rio-São Paulo, por exemplo. Os estados do sul, devido à colonização europeia, foram os que mais tocaram e idolatraram Modern Talking. Suas músicas animaram por anos os bailes e discotecas do sul do país. Os dois primeiros álbuns de estúdio,The First AlbumeLet's Talk About Lovenunca foram lançados oficialmente no Brasil. Do terceiro ao sexto álbum foram lançados simultaneamente em 1989 emLPpela BMG Ariola Discos. Já na segunda fase, do sétimo ao décimo segundo álbum, foram lançados na mesma época dos lançamentos mundiais emCDpela BMG Brasil.

Por Cristalina, tem sido mais difícil encontrar pelos últimos bares que nos restam e que representam a velha guarda dos “inta” ou quase “enta”, a boa qualidade musical que nos embalaram pelos sábados à noite, na era de ouro do pop dance/  euro dance. De volta portanto, aos estúdios  e pistas de dança do Kanguru, Garrafão, Casarão e por fim, Boate Alta Tensão. Até a próxima, ao som, é claro, de Modern Talking  - www.youtube.com/watch?v=4kHl4FoK1Ys  !!!  (Por: Geovane José Leandro – Com informações da Wikipédia – Foto: Google - reprodução

Leia mais ...
Info for bonus Review William Hill here.